Papa critica perseguição política por meio da Justiça, como no caso de Lula

O Papa Francisco criticou o lawfare, que é o uso indevido das leis e da Justiça para fazer perseguição política, como ocorre nos processos do ex-presidente Lula. Durante a cerimônia de encerramento do Encontro de Juízes Panamericanos sobre Direitos Sociais e Doutrina Franciscana, na Cidade do Vaticano, nesta terça-feira (4), o Sumo Pontífice fez questão de destacar que esse tipo de perseguição coloca em risco as democracias e os direitos básicos.

Francisco também destacou que o lawfare tem sido o instrumento de intervenção externa no cenário político de alguns países e criticou as “operações midiáticas paralelas” responsáveis por um “julgamento antecipado” por parte da mídia.

Durante o discurso, o Papa destacou:

 

Aproveito esta oportunidade para manifestar a minha preocupação com uma nova forma de intervenção externa nos cenários políticos dos países, através do uso indevido de procedimentos legais e tipificações judiciais. O lawfare, além de colocar a democracia dos países em sério risco, é utilizado para minar os processos políticos emergentes e incentivar a violação sistemática dos direitos sociais. A fim de garantir a qualidade institucional dos Estados, é fundamental detectar e neutralizar este tipo de prática que resulta de uma atividade judicial imprópria em combinação com operações midiáticas paralelas. E todos estamos familiarizados com o julgamento antecipado pela mídia. (…)”

 

Confira a íntegra do discurso do Papa Francisco

Da Redação da Agência PT de Notícias