Mães são principais vítimas de violência doméstica no Brasil

Os números de mulheres em situação de violência doméstica aumentam ano após ano, mas é pouco comentado sobre as mães que sofrem esse tipo de violência. Em 2014, a Secretaria de Políticas para Mulheres da Presidência da República (SPM) registrou 52.975 denúncias de agressões contra mulher no Brasil, e de todas as denúncias registradas, 80% das mulheres vítimas tinham filhos.

A assistente social, Maria Inês Soares de Oliveira explicou em uma entrevista ao G1 que “Há casos em que os pais utilizam o filho como barganha. Outros nunca exerceram a paternidade plenamente antes de serem afastados da família pela medida protetiva e querem usar o afastamento como medida para voltar ao lar. Tudo isso é analisado pela Vara”.

Outro ponto muito preocupante é que essas mães são culpabilizadas por não protegerem seus filhos e filhas. O artigo “Violência doméstica: sinônimo de mulheres/mães culpadas?” explica que essas mulheres possuem mais dificuldade de saírem desse tipo de relação abusiva justamente por medo de que aconteça algo com suas crianças e adolescentes.

“Além de todas as dificuldades para tomar esta decisão, dados ingleses mostram que a separação não termina a violência doméstica e pior, é um momento muito perigoso para as mulheres”, diz um trecho do artigo.

Uma das maiores estratégias dos agressores é destruir a autoestima da mulher, fazendo ela se questionar sobre suas capacidades, inclusive a materna. Por isso, a necessidade de políticas públicas de proteção e acompanhamento das vítimas.

Da Redação da Secretaria Nacional de Mulheres do PT