Relembre cinco títulos mundiais dos governos Lula e Dilma

Um time sério, que sempre pensou no desempenho coletivo sem abrir mão das qualidades individuais e que se habituou a driblar adversários de peso como a miséria extrema e a falta de renda. Com Lula e Dilma, o Brasil jogava sempre para vencer. Tamanha entrega e dedicação, por sinal, fez o governo petista ser reverenciado por nações consideradas mais potentes e organizadas. E o resultado foram anos e anos com o país no topo do mundo em campeonatos mundiais de ponta.

Apesar de o país estar estar em profunda crise desde o golpe de 2016 e contar com um “técnico” golpista que é rejeitado por oito em cada 10 brasileiros, a história recente prova que torcida e equipe nunca jogaram tão bem juntos quanto nos 13 anos em que estiveram no comando dois presidentes amados pela maioria do povo brasileiro e com a competência necessária para vencer qualquer competição.

Com Lula novamente na liderança e com a expectativa de milhões de torcedores de vê-lo outra vez no comando da equipe, nada melhor do que relembrar de outros cinco títulos mundiais conquistados pelos governos do PT de maneira inquestionável e que fizeram do Brasil uma potência em áreas fundamentais de desenvolvimento. Confira:

2010: Campeão Mundial na Luta contra a Fome
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condecorado pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o título de “Campeão Mundial na Luta Contra a Fome”. A distinção é entregue anualmente a lideranças que se destacam em combater a falta de alimentos no mundo.

Entre os ganhadores anteriores do prêmio estão Kofi Annan, ex-secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, secretário-geral da ONU e Robert Zoellick, presidente do Banco Mundial.

“Lula, você deu o que há de mais importante ao povo: esperança. O Brasil alcançou todos os objetivos do milênio. (…)”, disse a diretora-executiva do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA), Josette Sheeram, antes de entregar o prêmio ao presidente. Em seu discurso, ela citou programas do governo Lula, como o Fome Zero, e destacou que a luta contra a fome pode gerar crescimento econômico.

2010: “Time” elege Lula como presidente mais influente do mundo
A revista americana “Time” elegeu o presidente Luiz Inácio Lula da Silva o líder mais influente em 2010, à frente do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama (4º colocado), e do primeiro ministro japonês, Yukio Hatoyama (6º colocado). A publicação elegeu as cem pessoas mais influentes do mundo em diversas áreas.

O texto da “Time”, assinado pelo cineasta Michael Moore, afirma que Lula é “um verdadeiro filho da classe trabalhadora da América Latina” e lembrou que o presidente chegou ao cargo após três tentativas fracassadas e, com isso, “era uma figura familiar na vida nacional brasileira”.

2011: Lula recebe prêmio e doa 100 mil à África
O ex-presidente Lula recebeu em Gdansk (norte da Polônia), o Prêmio Lech Walesa que leva o nome do líder histórico do sindicato polonês Solidariedade. Segundo nota divulgada pela Fundação Lech Walesa, Lula, que doou o prêmio a um país africano, foi escolhido “em reconhecimento por seus esforços para conseguir uma cooperação pacífica e a compreensão entre as nações, especialmente para reforçar o papel dos países em desenvolvimento no mundo dos negócios, e por sua contribuição para reduzir a desigualdade social”.

2013: “Prêmio de Desempenho Extraordinário em Seguridade Social”
A Associação Internacional de Seguridade Social (AISS) concedeu ao Governo do Brasil o primeiro lugar no “Prêmio de Desempenho Extraordinário em Seguridade Social” com o pioneiro programa de redução de pobreza Bolsa Família.

Lançado em 2003 pelo Luiz Inácio Lula da Silva, o Bolsa Família é um programa de transferência condicionada de renda que atinge cerca de 50 milhões de brasileiros pobres, complementando sua renda. Resgatou cerca de 36 milhões de brasileiros da pobreza extrema.

O prêmio reconhece o sucesso único do Bolsa Família, que ajudou a aliviar a miséria entre as famílias mais pobres do Brasil e impulsionou a educação e a saúde de seus filhos. Demonstrou que os programas de transferência condicionada de renda podem ser uma forma altamente eficaz de seguridade social.

2017: Prêmio Políticas para o Futuro
O Brasil levou a melhor no Prêmio Políticas para o Futuro – iniciativa das Nações Unidas que visa destacar as melhores práticas de preservação da terra, água e solos – pela criação do Programa de Cisternas Brasileiro que em 2014 alcançou a marca de um milhão de cisternas construídas, que beneficiaram mais de 5 milhões de pessoas diretamente. Também foram construídas perto de 5 mil cisternas em escolas rurais que não mais interromperam aulas por falta de água.

Desde o golpe de 2016, no entanto, o Programa de Cisternas passa por um desmonte. Os investimentos que já alcançaram mais de R$ 850 milhões anuais, foram reduzidos a menos de R$ 30 milhões somente em 2017, de acordo com informações do Orçamento Geral da União.