PT resiste contra entreguismo quando Petrobras completa 64 anos

Parlamentares da bancada do Partido dos Trabalhadores se manifestaram nesta terça-feira (3) para homenagear um dos maiores patrimônios brasileiros, a Petrobras. Vítima da ganância de especuladores nacionais e internacionais, a estatal, que resiste ao entreguismo do presidente ilegítimo de Michel Temer, completa nesta data 64 de anos de contribuição ao desenvolvimento do País.

O líder do PT na Câmara, deputado Carlos Zarattini (SP), advertiu que a estatal, criada por Getúlio Vargas com o ‘’sangue e o suor dos brasileiros’’, corre sérios riscos sob o governo golpista Michel Temer. Ele lembrou que o presidente da empresa, Pedro Parente, é dono de uma consultoria para gestão de grandes fortunas e está fazendo a festa de grupos estrangeiros, ao fatiar e abrir mãos de ativos da Petrobras.

Zarattini observou, em artigo, que a estatal sempre gerou a cobiça de grupos estrangeiros. “E, com o governo atual, investidores externos encontraram prepostos para fazer o serviço entreguista. A Petrobras está sob ameaça e perde seu papel estratégico para o desenvolvimento nacional”.

Para o líder do PT, o fatiamento da Petrobras, juntamente com a privatização de outras estatais e de riquezas nacionais como o pré-sal, insere-se numa lógica subalterna do governo ilegítimo de Temer, que visa basicamente a destruir direitos do povo brasileiro e agradar aos interesses do setor financeiro e de grupos estrangeiros. “O momento é crucial: ou resistimos ou vamos nos tornar uma mera colônia exportadora de matérias primas”, alertou o líder.

Na tribuna da Câmara o deputado Luiz Sérgio (PT-RJ) afirmou que que a Petrobras tem relevantes serviços prestados ao país. “O que mais nos orgulhamos, foi a descoberta do pré-sal. Trata-se de riqueza incalculável, em que as petroleiras internacionais estão de olho. Infelizmente este governo ilegítimo de Temer está entregando este patrimônio que, indiscutivelmente, é o passaporte dos nossos jovens para o futuro”, lamentou o deputado.

Observou a deputada Benedita da Silva (PT-RJ) que o povo não está alheio à sanha privatista imposta pelo governo que tomou de assalto o Palácio do Planalto em um golpe parlamentar. Benedita citou como exemplo a caminhada, o ato que ocorreu hoje, no Rio de Janeiro em defesa da soberania nacional. “É um ato do povo para impedir que se continue entregando este País”.

“Nós sabemos que soberania não se vende, nem a peso de ouro nem pelo valor de uma banana, mas este governo assim o está fazendo, e nós estamos ficando sem futuro. O povo brasileiro tem que se defender neste momento, o povo brasileiro tem que resistir”, alertou Benedita da Silva.

Avaliou o deputado Valmir Assunção (PT-BA), que o ato em defesa da soberania ocorre em um momento em que o patrimônio público brasileiro está sendo entregue a estrangeiros “por um presidente ilegítimo e que alçou o poder por meio de um golpe”.

“Hoje é um dia especial. A Petrobras completa 64 anos mas, infelizmente a nossa Petrobras está ameaçada. Ontem, o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho declarou em entrevista que a empresa poderá ser privatizada no futuro. Uma declaração vinda de alguém que participa de um governo que a cada dia comprova o seu caráter maléfico para a população brasileira. É urgente a unidade popular e grandes mobilizações contra o entreguismo”, defendeu Valmir Assunção.

Do PT na Câmara