Em Buenos Aires, Dilma denuncia golpe e prisão política de Lula

A presidenta eleita Dilma Rousseff esteve em Buenos Aires no dia 1º de maio para participar de encontro com diversas lideranças internacionais que fizeram coro em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e contra a sua prisão política, denunciada como nova etapa do golpe que ataca os direitos dos brasileiros e brasileiras e, sobretudo, a democracia do país.

Participaram do ato o ex-presidente colombiano Ernesto Samper, a ex-presidenta argentina Cristina Kirchner, o prêmio Nobel da Paz Adolfo Pérez Esquivel, Estela de Carlotto das Avós da Praça de Maio, Eduardo Valdes, parlamentar do Parlasul e homem de confiança do papa, as jovens e guerreiras deputadas Laura Alonso e Mayra Mendoza, o governador da província de San Luis, Alberto Saá, o presidente do Parlasul em 2016 Jorge Taiana e Jorge Ferraresi, prefeito de Avellaneda, na grande Buenos Aires.

Dilma Rousseff também esteve na Feira do Livro da capital argentina para o lançamento das obras “ Lula: a Verdade Vencerá” e “Os Governos do PT: um Legado para o Futuro”. Em seguida, reuniu-se com Cristina Kirchner para uma conversa privada.

“Falamos dos ataques à democracia em Brasil e Argentina e da perseguição aos governos populares e às lideranças de nossos países, inclusive da prisão arbitrária de Lula. Seguimos fortes, resistentes e comprometidas com a defesa da democracia e à frente das lutas populares”, declarou Dilma.

Da Redação da Agência PT de Notícias