Criação de empregos em 2018 deve ficar em 20% do previsto

As promessas do governo ilegítimo de Michel Temer a cada dia se mostram mais falsas. A geração de empregos, propagandeada como consequência da chamada “reforma trabalhista“, que na verdade destruiu a CLT e a segurança do trabalhador, ficou muito abaixo do esperado.

Se no início do ano os analistas esperavam a criação de 750 mil vagas, hoje a expectativa é que sejam apenas 220 mil empregos formais ao final de 2018. A estimativa é da LCA Consultores, com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), em levantamento feito para a “Folha“.

Desde o mês de março a desaceleração da geração de empregos têm sido brusca. Segundo economistas, já existe a possibilidade de que ano termine com mais demissões do que contratações.

Em dezembro de 2017, as previsões de crescimento econômico indicavam alta de 2,7% em 2018, chegando, em março, a atingir quase 3%, segundo acompanhamento semanal do Banco Central. Agora as projeções para o PIB (Produto Interno Bruto) caíram para 1,5%, com reflexos sobre expectativas para o mercado de trabalho.

Da redação da Agência PT de notícias, com informações da Folha