Braço direito de Bolsonaro, Onyx usou R$ 100 mil de caixa 2

/>

Braço direito de Bolsonaro, Onyx usou R$ 100 mil de caixa 2
Deputado federal Onyx Lorenzoni, admitiu ter recebido dinheiro da JBS e usou para pagar despesas de campanha nas Eleições de 2014
09/10/2018 18h46
Fábio Rodrigues Pozzebom – Agência Brasil
Deputado federal Onyx Lorenzoni
Principal articulador da campanha de Jair Bolsonaro (PSL), o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM) já admitiu ter recebido R$ 100 mil em Caixa 2. Reeleito em 2018, o parlamentar confessou, em 2017, ter usado o dinheiro para despesas da campanha em 2014.

Onyx recebeu os repasses da JBS por meio de uma subsidiária da empresa no Rio Grande do Sul, segundo informações do Congresso em Foco. A confissão ocorreu após ele ser citado na delação premiada dos irmãos Wesley e Joesley Batista. Na ocasião, o deputado que ironicamente foi o relator do projeto das Dez Medidas Contra a Corrupção, idealizado pelo Ministério Público, disse que pagou dívidas.

“Final da campanha, reta final, a gente cheio de dívidas com fornecedores, pessoas, eu usei o dinheiro. E a legislação brasileira não permite fazer a internalização desse recurso”, declarou.

Discurso golpista e plano sem proposta
O deputado segue o mesmo discurso golpista de Bolsonaro. Para ele, o capitão de reserva só perde a eleição no segundo turno “se eles roubarem nas urnas. Não tem outro jeito”, declarou ao UOL, no domingo (7).

Curiosamente, Onyx admite que Bolsonaro não tem nenhuma proposta concreta para tirar o Brasil da crise. Segundo o deputado, as Eleições não são espaços para propostas, o que corrobora para a total falta de programas e ideias do plano de governo do candidato do PSL.

“Essa eleição não é de propostas. Mais propostas que os marqueteiros do Alckmin fizeram, que o Ciro fez, ou que a Marina fez, impossível. E o que que definiu? O passado do Lula e a esperança de um futuro, que o Bolsonaro é isso. Governo é conceito, governo não é plano”, disse ao UOL.

Com o fim do 13° salário e o aumento de Imposto de Renda para os mais pobres, o país tem visto o conceito de Bolsonaro e Onyx. Um conceito em que os menos favorecidos arcam com os privilégios da elite do país.

Da Redação da Agência PT de Notícias, com informações do Congresso em Foco e Uol