A ‘indústria de mentiras’ de Bolsonaro virou notícia no mundo todo

O vultoso esquema de caixa 2 e fraude eleitoral de Jair Bolsonaro — revelado pela Folha de S.Paulo nesta quinta (18) — está repercutindo no mundo todo. Veículos como o New York Times, o jornal inglês The Guardian e o Washington Post destacaram a “ indústria de mentiras” financiada por aliados do candidato.

A reportagem da Folha mostra que empresários ligados ao candidato estão financiando propaganda em massa contra o PT no WhatsApp, cujos contratos chegam a 12 milhões. Um deles é o Luciano Hang, dono da Havan e histriônico apoiador do candidato do PSL.

O site do New York Times destaca, em texto da agência Reuters, a resposta de Fernando Haddad ao ataque e pontua que a difusão de informação falsa via internet “se generalizou nos preparativos para o segundo turno presidencial”. Já The Telegraph, do Reino Unido, falou da acusação de uma rede criminosa.

O Buzzfeed News registra que o “escândalo imenso” no Brasil ofuscou um evento convocado pelo Facebook nos Estados Unidos para comemorar o avanço no… combate às fake news nas eleições. Vale lembrar que a empresa é dona do WhatsApp.

O site americano aponta que as empresas que apoiam Bolsonaro “usaram o banco de dados de patrocinadores de Bolsonaro, bem como bancos de dados de números de telefone de terceiros” para transmitir as mensagens. Já o francês Le Figaro destaca a denúncia de violação das leis eleitorais brasileiras – o financiamento empresarial de campanha foi proibido em 2016.

O alerta de Haddad para a rede criminosa também foi manchete no chileno La Tercera, o argentino Clarín e em agências como Efe, AP, e AFP.

Da Redação Agência PT de Notícias